Páginas

Loading...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Manifesto em Defesa da Língua Portuguesa





O que é o Manifesto em Defesa da Língua Portuguesa contra o Acordo Ortográfico?

Trata-se de um Manifesto que teve origem em maio de 2008, cujo objetivo era revogação do  Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990).

A Petição/Manifesto foi colocada em linha em 2 de maio de 2008 e dirigida ao Presidente da República Portuguesa, ao Presidente da Assembleia da República Portuguesa e ao Primeiro-Ministro de Portugal.

Em 8 de maio de 2008 a petição (juntamente com as primeiras 17.300 assinaturas) foi entregue em mãos ao Presidente da Assembleia da República Portuguesa por um grupo de signatários.

Em maio de 2008, Evanildo Bechara, acadêmico  de número da Academia Brasileira de Letras e promotor do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa no Brasil, divulgou um manifesto intitulado "Considerações em torno do MANIFESTO-PETIÇÃO dirigido ao senhor Presidente da República e aos membros da Assembleia da República contra o Novo Acordo Ortográfico de 1990, no âmbito do 3º Encontro Açoriano da Lusofonia
(Lagoa, S. Miguel, Açores, 8 a 11 de maio de 2008).

No Manifesto, Bechara, que foi subscrito por João Malaca Casteleiro, acadêmico de número da Academia das Ciências de Lisboa e co-autor do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, e por 34 outros professores presentes, reconheceu-se explicitamente a existência de problemas graves no Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa e que não poderia o mesmo constituir a base de uma norma ortográfica.


Fonte: http://coloquioslusofonia.blogspot.com/2012_02_05_archive.html

domingo, 19 de fevereiro de 2012

A Academia das Ciências de Lisboa e o Vocabulário Ortográfico

O que muitos especialistas portugueses observam em relação à implantação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa naquele país é o fato de uma Resolução não ter a mesma força de Lei.

Daí, o presidente do Centro Cultural de Belém, Vasco Graça Moura, adotou a não aplicação do Acordo Ortográfico no CCB.  Depois foi a vez da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa que suspendeu o Acordo Ortográfico.

Sabemos que no Brasil tivemos a assinatura do Decreto n. 6.583 de 29 de setembro de 2008, na Academia Brasileira de Letras. Alguns meses depois é  que o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa foi lançado em 19 de março de 2009.

Já em Portugal a Resolução n. 08 do Conselho de Ministros, datada de 25 de janeiro de 2011 determinou que a adoção do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa naquele país, se deu em 13 de maio de 2009, e que o conversor  do Instituto de Linguística Teórica e Computacional traria o Vocabulário Ortográfico no Portal da Língua Portuguesa www.portaldalinguaportuguesa.org

Ainda segundo a referida Resolução, a partir de setembro de 2011 as escolas adotariam a nova ortografia, ao passo que no dia 1º de janeiro de 2012, o Diário da República e todas as publicações do Governo estariam conforme a nova ortografia.

Perceba que se o Decreto tem força de Lei, uma Resolução não tem a mesma força como dizem os especialistas. Ainda mais porque a Academia das Ciências de Lisboa é que tem o papel de apresentar ao povo português o seu Vocabulário Ortográfico.

Até lá, os portugueses podem adotar outro Vocabulário Ortográfico.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Dicas de Redação do ENEM




O Professor Francisco Platão Savioli é Licenciado em Língua Portuguesa pela USP, onde fez o Bacharelado em Latim e Linguística.
Mestre e Doutor em Filologia e Língua Portuguesa também pela USP.

Autor de Gramática em 44 lições, dá dicas sobre redação no vídeo acima

Acordo Ortográfico fora da Universidade de Lisboa




Depois da polêmica levantada por Vasco Graça Moura, de retirar o corretor ortográfico dos computadores do Centro Cultural de Belém, logo ao assumir a presidência deste, os portugueses têm mais uma instituição que rejeita o Acordo Ortográfico.

Desta vez, trata-se da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.  Mais uma vez o Acordo Ortográfico encontra resistência. Contatado pela M80 o Ministério da Educação de Portugal afirmou desconhecer o caso, já que as Faculdades são autônomas.

A ILC  contatou a M80 rádio neste dia 07/02/2012 por telefone para confirmar a notícia dada às 12h tendo recebido não só a confirmação da jornalista Sandra Fernandes, como também recebeu a fita da dita notícia.

Fonte: http://ilcao.cedilha.net/

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Acordo Ortográfico pode ser suspenso em Portugal




Deputados do PSD/Açores na Assembleia da República defendem que a aplicação do Acordo Ortográfico deve ser suspensa em Portugal.

Num documento remetido ao ministro do Estado e dos Negócios Estrangeiros, os deputados Mota Amaral, Joaquim Ponte e Lídia Bulcão defendem que "agora que a aplicação do Acordo Ortográfico se tornou obrigatória nos documentos oficiais, vai surgindo com evidência o empobrecimento da língua portuguesa dele decorrente, o que causa profundo desgosto a muitos dos nossos concidadãos da Região Autonoma dos Açores".

Os parlamentares referem que o Acordo Ortográfico é mais uma herança "socratiana" cuja entrada em vigor foi "apressada" sem que existam razões para que tal aconteça.

"Foi apressada a entrada em vigor do Acordo, apesar de a maior parte dos países em que o português é a língua oficial não ter dado mostras de querer aplicar regras tão insanas e ainda por cima confusa" refere o documento.

Para além de pretenderem saber quais as vantagens da aplicação do Novo Acordo Ortográfico, os deputados açorianos questionam o ministério de Paulo Portas se pretende ou não suspender a sua aplicação em território nacional. Perguntam se a aplicação da nova ortografia surge apenas para satisfazer a vontade do Brasil ou se tal resulta em algum benefício para Portugal no que se refere ao acesso ao mercado editorial daquele país por parte dos autores nacionais.

Fonte: http://ilcao.cedilha.net/

Postagens populares